img

KonMari: método de organização para a casa

Descubra alguns truques para organizar a casa e ganhar mais espaço com o método KonMari

8 meses atrás
método KonMari

Caso você ainda não tenha ouvido falar de Marie Kondo, está na hora de conhecer essa famosa especialista em organização. Criadora do método KonMari, a personal organizer japonesa é autora de dois best-sellers, “A mágica da organização” e “Isso me traz alegria”, além de também estar disponível em um seriado na Netflix, ajudando as pessoas colocarem ordem na casa e na própria vida, transformando lares através da arrumação.

Então, se você é uma daquelas pessoas que não consegue achar nada em casa ou que adora ver tudo no lugar certo, então confira algumas dicas de como organizar espaços, como casas e ambientes de trabalho, com o método KonMari, que já tem ganhou milhares de adeptos ao redor do mundo.

 

ESCUTE O SEU CORAÇÃO

A base do método KonMari e o elemento no qual você vai basear todo o processo de organização são os seus sentimentos. Sinta o que te traz e o que deixou de te trazer alegria. Segundo a organizer, cada objeto adquire um significado emocional e devemos guardar apenas os que nos fazem felizes. Alguns são mais cativantes. Outros, em contrapartida, são indiferentes. São esses objetos que não devem ser guardados em casa.

Pergunte a si mesmo:

“Você fica alegre rodeado de livros que nunca leu e que sabe que não tocarão seu coração?”
“Você fica feliz usando roupas que não te trazem nenhuma sensação boa?”

Se a resposta for “não”, descarte. Simple assim! Essa análise cuidadosa do espaço em que vivemos faz com que o processo de organização seja mais do que uma tarefa, mas também um processo de autoconhecimento.

ORGANIZE POR CATEGORIA

Normalmente, fazemos limpeza por cômodo, não é mesmo? Primeiro arrumamos o quarto, depois a sala e a cozinha. Porém, com método KonMari essa limpeza é diferente. Ela consiste, principalmente, em repensar o lugar de cada item na sua casa. Existem coisas que são guardadas em mais de um lugar. Se você guarda objetos do mesmo tipo em locais diferentes, e arrumar um cômodo por vez, nunca terá êxito. Então, separe seus objetos por categoria e não por cômodos.

Comece por itens de menor importância e sua capacidade de decidir será treinada quando chegar nos objetos mais sentimentais. Assim, você pode comparar o que tem de cada coisa e analisar o que convém ficar e o que vale a pena se despedir.

O ideal é dividir os objetos e seguir essa ordem:

Roupas

Comece espalhando todas pelo chão e separe nas seguintes categorias: blusas, partes de baixo, roupas de pendurar, meias, roupas íntimas, bolsas, acessórios, roupas especiais e sapatos. Inicie selecionando as roupas da estação seguinte, é mais fácil avaliar! As peças que não trazem mais alegria devem ser doadas.

Na hora de arrumar as peças que ainda mexem com você, organize o guarda-roupas sempre “apontando para à direita”, colocando peças mais pesadas à esquerda e mais leves no lado oposto. Isso ajuda a harmonizar seu armário.

 Livros

Também comece espalhando-os pelo chão e separe nas seguintes categorias: geral (livros que trazem diversão), prática (livros de referência), visual (livros de fotografia) e revistas. Os livros que ainda não foram lidos, provavelmente nunca serão, então descarte-os (doe!). Guarde apenas livros do hall da fama, reduza sua coleção ao que importa.

 Papelada

A regra é jogar tudo fora. Se você conseguir se desfazer de tudo que é inútil, será ótimo. O que decidir permanecer deve ser separado em: materiais de estudo, comprovantes de pagamento, garantia de eletrônicos e cartões de felicitação. Entre esses itens separe também os que “necessitam de atenção” e os que “precisam ser guardados”. O segredo é mantê-los no mesmo lugar.

 Komono

Palavra japonesa que significa “pequenos objetos, itens variados, coisas sem muita importância”. Podem ser maquiagens, DVDs, equipamentos, ferramentas, utensílios de cozinha e outros. Da mesma forma, faça um inventário, descarte e guarde o restante com reflexão.

 Itens sentimentais

Por fim, tudo aquilo que traz boas lembranças, provoca boas emoções. Não deixe que a casa de seus pais ou parentes seja um repositório desses itens. Descarte o que não for necessário sempre pensando em quem você é hoje.

NOSTALGIA NÃO É SINÔNIMO DE ALEGRIA

É normal atribuirmos a objetos o poder de nos recordar de algum momento ou pessoa. Quem não tem aquela camiseta da banda favorita comprada há anos, ou aquela lembrancinha que alguém trouxe da praia e acabou guardada na gaveta? Mas saiba que existem outras formas — e mais organizadas — de fazer isso.

Tem uma camiseta bacana que está manchada, mas que você não joga fora porque traz lembranças? Pois então, uma alternativa é recortar um pedaço da camisa e guardar em uma caixinha de memórias. O efeito vai ser o mesmo, porém vai ocupar bem menos espaço.

Se você fica pensando muito em se desfazer ou não de alguma coisa, a resposta é uma só: desfaça-se disso. Com os objetos que nos fazem felizes, não há dúvidas. Se a dúvida existe é porque esse objeto específico não tem tanta importância para nós. O que está em funcionamento nesses casos é o hábito neurótico de dificuldade de se desfazer das coisas.

AGRADEÇA 

Outra orientação do método KonMari é agradecer o objeto pelo serviço prestado antes de se desfazer dele. E também nos despedir. Ao fazer isso, você não sente que está jogando aquilo fora, mas apenas contribuindo para o ciclo de renovação na sua casa. Para Marie Kondo esse é um bom antídoto contra os sentimentos de culpa. Aqueles sentimentos que surgem quando jogamos alguma coisa fora.

Mas é importante que coisas que ainda são usadas por você também sejam valorizadas. Pensar em como elas são úteis para você vai ajudar na hora de escolher a melhor forma e local de guardá-las.

SINTA  OS OBJETOS

Tire todas as suas roupas do armário e pense em cada uma individualmente. Aquela blusa que usa para dormir fica melhor dobrada na gaveta ou pendurada? O que você pensa? É claro que, quando o assunto é roupa, elementos como o tipo de tecido, se amassa com mais facilidade ou não, podem pesar na hora da escolha. No entanto, como tudo no método KonMari, é preciso ir além do aspecto visual.

Marie Kondo usa técnicas próprias para dobrar roupas antes de colocá-las na gaveta. Uma de suas regras é formar pequenos retângulos com as roupas. Em seguida, guardá-las verticalmente e não formando pilhas, com uma em cima da outra. O resultado final é algo como uma biblioteca de peças de roupa.

Para manter essa organização, Kondo recomenda o uso de caixas — de sapatos, por exemplo — cujo tamanho seja adequado para o tipo de roupa que vai acomodar. Então, por isso, blusas de frio vão necessitar de uma caixa maior do que a de camisetas. E assim por diante.

Então, no método Marie Kondo, arrumar não é guardar. Guardar é simplesmente tirar coisas inúteis do seu campo de visão. Quando se guarda tudo, a desordem começa a aparecer de novo. Guardar é acumular e acumular leva à bagunça. Não caia nesse círculo vicioso!

VALORIZE O RESULTADO DA ORGANIZAÇÃO

Quem já tentou sabe que organizar requer determinação e que é um trabalho constante. Decidir o que deixar ou não na sua casa é tanto um processo estético quanto de autoconhecimento. Conseguir se organizar pode não ser uma tarefa fácil, mas, quando esse feito é realizado, as pessoas se sentem mais confiantes e com o controle de suas vidas.

Inspire-se nas dicas de organização da japonesa Marie Kondo e comece agora a colocar sua casa e sua vida em ordem. Você encontrará suas coisas mais facilmente, bem como a sua alegria e bem-estar.
E aí, gostou de conhecer melhor o método KonMari? Então compartilhe com seus amigos certamente também vão adorar as dicas!

 

Leia Também
  • BLOG

    O que você precisa pra cozinhar com facilidade?Dicas

  • PANELAS

    Tudo o que você precisa saber para as suas panelas durarem mais!Dicas

  • BLOG

    Como montar uma mesa de jantar harmoniosaDicas

  • IMAGEM-BANNER

    Como organizar seus sapatosDicas